fria madrugada

Então, realmente dei um tempo sobre escrever, isso acontece quando paro de ler. Quando leio volto a ter aquela visão crítica e severa da minha própria existência. Lamentávelmente, meu orgulho intelectual ainda pertuba minhas noites de sonos, tetando entender sentimentos e os conceitos de tais comportamentos humanos.

Sempre tem um cara me ligando de madrugada perguntando onde eu estava, desse tipo de cara que na verdade não se interessa por você, mas precisa atormentar alguém. Não, ele não quer compromisso, nem romance, muito menos conhece poesia. Ele só tá sozinho procurando algo pra fazer. Ele anda por ai perdido há algum tempo, no auto engano da busca de qualidade de vida. Mas na verdade continua aquele mesmo ignorante de sempre. Disso resolvi escrever um conto, adoro imaginar o que acontece nos bastidores da vida.

Ele então fumou alguns cigarro, entrou em vários bares e no final se sentou a beira mar, pensando na distância, na ausência, no vazio, na culpa e principalmente na solidão. Antes ele estava sozinho, sempre esteve, ninguém tem coragem de acompanhá-lo. Mas agora era diferente, apareceu alguém na vida dele, alguém que ele pode transferir sua frustração, fazia alguns anos que ele procurava alguém assim.

Hoje no mundo moderno o sofrimento é opcional, mas a dor é algo que o acompanha no peito. Ele entre um trago e outro pensa rapidamente: – Onde ela deve estar?  falei tudo o que não queria dizer no telefone, será que ela acreditou?deve estar com outro, existem vários melhores do que eu.

Cheio de autopiedade, raiva, inveja e ciúmes, se deixou levar pela compulsão de mil telefonemas a procura dela, a qual não se encontrava em casa. Os minutos passavam e onde ela estaria? ele se perguntava, embebido em angústia. Medo!!! mas não um medo de perder, medo de ligar e ela não atender de novo. Ele pensa nela o dia todo, mas ele não quer nada com ela, não está preparado, só quer conversar um pouco, saudades que dói no peito. O compromisso na verdade o remete a responsabilidade, mas ele sabe o cafajeste que é e que não mereceria uma mulher como ela. Ele pensa que sofreria, mas no fundo sabe que já sofre com tudo isso, essa fantasia “da espera”, de chegar perto e não se controlar e ter que beijar, mas quando ela diz não ; ele prefere fingir que não viu, que não conhece, desprezando suas próprias vontades.

Dando a volta ao mundo em um minuto, ele quer parar de pensar, mas falta algo na vida dele. Ele ainda não sabe se falta ela voltar pra casa e atender o telefone ou se falta ela aceitar viver a loucura da sua mente doente. Ela não quer viajar comigo, participar das minhas ilusões e me fazer compania quando eu preciso; pensa ele sempre de modo egoísta, porque ele fingi que vê o lado dela e respeita a vida dela, mas naquele momento ele só se pergunta porque ela ainda não voltou pra casa. Nisso ele percebe que o cigarro acabou, ele precisa comprar mais, quem sabe dando uma volta ele esquece que ela não está em casa. Andando pela rua, sozinho no frio, ele pensa onde ela estaria naquele frio desgraçado.

Na volta resolve ligar novamente, mas dessa vez ela atende, ele age pelo primeiro sentimento, o de raiva e ciúmes e pergunta rispidamente: – ah!!! ja chegou? onde você estava? sua ironia sempre a deixa desconcertada mas dessa vez foi diferente, ela respondeu, seca e objetiva, não queria muita conversa, ainda mais com ele que várias conversas não levaram a nada. Ela disse: – onde eu estava não é da sua conta! e desliga o telefone como se ele não existisse.

Afinal, ele se arrependera de ter ligado, e pensara mais uma vez que não devia ter feito aquilo. Não adianta, ele não disse nada que ele queria novamente, e o pior não foi isso, foi depois de todo esse tempo ele ainda continuar se perguntando: onde é que ela estava todo esse tempo?

Anúncios

~ por Ana Paula Garcia em maio 31, 2009.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: